O hortelã-audrey que diz: "Feed me!"
Você liga o Globo Rural e te ensinam a plantar uma hortinha em casa. Você abre o caderno Paladar do Estadão, e uma das recomendações para 2011 é “Plante uma horta caseira”. No Natal, você ganha de presente o livro do Michael Pollan e ele recomenda: “Coma mais vegetais, de preferência da sua própria horta.” Você começa a se preparar para voltar ao trabalho, lê os relatórios de tendências para a década, e os ambientalistas estão lá no topo da lista: “Coma mais vegetais, plante uma horta caseira.” Você assiste o último jornal da noite e tem alguém explicando como é simples fazer uma horta em casa ou até mesmo apartamento.

Finalmente, você procura no Google “como plantar horta em casa” e encontra 13.400 entradas. O universo exige uma horta. Você compra todo o aparato necessário. Sorte de principiante: todas as ervas crescem e ficam viçosas.

E aí tem um problema que ninguém, ninguém te explica como lidar: o que eu faço com aquele monte de cebolinha? O hortelã que ameaça pedir usucapião da sua varanda? O manjericão que nem disfarça e cresce mesmo com você olhando? O pé de tomate eu coloquei na sacada do quarto para vigiar melhor.

No primeiro dia foi lindo ter manjericão pra salada. No segundo, foi bom. No terceiro, eu já estava sonhando achando que era uma pizza margherita. Já usei cebolinha em todos os pratos. Não ficou nada bom no mingau de aveia. E agora tudo em casa é decorado com hortelã. Até o meu escritório.

Alguém me disse: faça pequenos maços e distribua para as pessoas. Você e elas ficarão felizes com esse gesto gentil. Então cheguei no escritório. Terno, gravata, gel no cabelo e uma bucólica cesta de ervas. Olhei para os lados e me dei conta: ninguém, ninguém aqui cozinha diariamente. E tem gente que nem sabe o que é tomilho. Disfarcei e disse que a cesta era para trazer um pouco de natureza para a firma.

E agora, com toda essa chuva em São Paulo, não posso sair de casa. Não, a rua não está alagada. É o pé de hortelã que impede a saída (durante a noite ele assistiu a “A Pequena Loja dos Horrores” e agora está gritando: “Feed me!”).

Acho que vou tomar um chá. E procurar um delivery de foice.

25 comentários sobre “A minha horta foice

  1. Que exagero. Fiz minha horta em duas floreiras pequenas, com três mudas cada. Se não dá conta de ser jardineiro full-time, opte por limitar o espaço das plantas…

  2. Oi, Flavia. Tarde demais. As plantas é que limitaram meu espaço. Os tomates estão assistindo a TV deitados na minha cama. E o pé de alecrim está roubando o sinal de wi-fi.

  3. Hahahahahaaa! Adorei. Aqui em casa o manjericão também se rebelou e virou uma planta gigante, invadiu o espaço das outras, e a sálvia depois resolveu ir atrás dele. São as forças da Natureza rsrs… Eu PODO, sem dó! Passo a tesoura mesmo, quando as ervas crescem muito. E se ninguém quiser o maço, coloco em um copo de água e fica lá na cozinha até murchar. Assim é a vida. O único jeito de ter tanta coisa em casa. Abs,

  4. Não existe nada melhor do que chegar em casa, depois de um dia duro de trabalho, tirar os sapatos, arregaçar as mangas e cuidar das ervas. A troca é magnífica… seja podando, seja colhendo…. só benefícios.

  5. Ja pensou em congelar a cebolinha, o manjericão, enfim, o q dá pra congelar.. vc colhe, lava bem, deixa secar, corta e congela.. não fica fresquinhooooo, mas eh uma boa solução.

  6. Alexandra, acho que o sabor fica bem prejudicado com o congelamento. Estou secando as ervas. No forno, claro. Porque com as chuvas, elas só tem crescido mais.

  7. Com o manjericão, faz um molho pesto. Acho que acaba com seu pé de manjericão de vez e fica delicioso

  8. Ótimo texto!
    Sempre acompanho seu blog (ótimo, diga-se de passagem) silenciosamente, mas hoje resolvi me manifestar.
    Vim sugerir um fim digno para as ervas: coloque-as no processador com alho, um pouco de sal e azeite. Está aí seu tempero pronto, sem o gosto nojento do glutamato e muito melhor que qualquer um que possa ser encontrado nos mercados (e duvido que você use tempero pronto de mercado).

  9. Estava fazendo um regime (sorry, falha de caráter…) que pregava um suco verde em jejum – aipo, pepino, limão e gengibre – e hortelã. Na primeira semana, acabei com a hortelã da horta. Na segunda, com a salsinha. Na terceira, com o manjericão. Na quarta, eu estava parecendo um parente próximo do Hulk…Abs! ainda estou rindo com seu texto.

  10. Mas que dieta incrível — não só ficou verde mas tonificou os músculos! Passa a receita! Obrigado pela visita, volte sempre. Nosso lema é SE RIMOS BEM PARA SE RIR SEMPRE.

  11. Conheci este espaço hoje e adorei. As respostas tão boas quanto os textos. Ao ler me lembrei do meu pai no interior curtindo esterco para eu por nos canteiros, detalhe: no meu quintal sobra cimento e falta terra. Marido ficou bravo de dirigir 600 km +- com esterco dentro do carro. Vou acompá-lo sempre, pois a leitura é prazeirosa.
    Abçs.

  12. Sandra, já fiz incontáveis viagens da região de Votuporanga com o carro lotado… de mangas, frangos caipiras, sabão feito no sítio, jaca…

  13. Que inveja. Lá em casa só o manjericão resolveu ser feliz e crescer livremente. Mas uns bichinhos malditos o atacam e o deixam adoentado. Sálvia, hortelã, tomilho, cebolinha, tomate, salsa, coentro… começam a dar o ar da graça mas rapidamente sucumbem, murcham e desaparecem. Será que é por que eu só lembro de regar as plantas uma vez por semana?🙂 rsrsrs
    Se suas plantas crescem vigorosas é porque você está tratando bem dela. Então veja a coisa por esse lado: elas estão te agradecendo. Não seja mal com as ervinhas, só com as daninhas.
    Abraços e continue nos alimentando com estes textos legais que você publica. Cláudio Gonzalez (Blog Papillon)

  14. Eu também tentei ter minha hortinha….principalmente como carioca, acostumada a ter uma varanda. Não é o meu caso.
    No meu apê em Sampa, o sol teima em não entrar…minha hortinha morreu com um mês de vida😦

  15. Adorei a recomendação da Regiane para ler o seu blog. Sensacional esse post! Precisei segurar a risada no escritório. Super concordo que o mundo te obriga a ter uma horta. Mas as plantas não gostam de mim. O que fazer?

  16. Então, Jim das Ervas!! é sinal que vc tem boa energia, ainda bem que não cultiva carnívoras!!
    Olha, eu estou pesquisando sobre o assunto das hortas caseiras para desenvolver produtos para quem tem pouco espaço, tipo organizadores .
    VC poderia me ajudar na empreita e dar alguns palpites!!
    Sobre seu problema, vai ai uma sujestão, que tal voltar ao velho escambo.
    No seu trabalho vc não almoça fora? então, envia os temperos fresquinhos e organicos e recebe a comida pronta!!
    Boa sorte, abraços.

  17. adorei a postagem e a sua forma de ver as coisas, confesso que ri horrores. estou precisando de mudas de hortelã, vc quer doar algumas para mim? quem sabe assim acaba seu problema!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s