Hoje Proust comeria sucrilhos?

A cena é um clássico: o aroma de um bolinho mergulhado no chá transporta para o passado. Foi assim que Marcel Proust imortalizou as madeleines no romance “Em Busca do Tempo Perdido”, criando o mais conhecido símbolo do poder evocativo da comida. Só que a editora Saint-Peres acaba de revelar que Proust tinha escrito versões anteriores em que as memórias eram despertadas por torradas com mel e biscotti. A decisão final foi baseada na preferência pessoal de Proust ou no melhor efeito literário? Se fosse hoje, a escolha seria apenas efeito da estratégia de product placement e merchandising de alguma marca de alimentos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s